quinta-feira, outubro 29, 2015

De Cidade Pepita, só resta o nome

O estado de conservação dos espaços públicos reflete o nível de educação de seus ocupantes. Pessoas civilizadas moram em lugares limpos, mesmo quando o serviço de limpeza publica não funciona direito, e sabe por que? Porque pessoas educadas não jogam lixo nas ruas.

Pessoas com boa educação não destroem os bens públicos e preservam a arborização e a jardinagem das ruas.
Considerando esses aspectos, podemos afirmar, com certeza, que a população de Itaituba, além de mal educada, é extremamente hipócrita, pois as pessoas vivem falando que gostam, que amam Itaituba, mas agem de forma contrária ao que dizem, são verdadeiros picaretas da palavra, pois  pregam uma coisa e fazem outra.
O lixo que se acumula na frente da cidade embaixo do cais de arrimo, dá uma noção do zelo que temos pela cidade que escolhemos para morar. Outra situação de descaso ocorre com as árvores que sombreiam as nossas ruas; muitas estão morrendo sufocadas com as ervas daninhas e ninguém demonstra a menor preocupação com esse problema.
A sujeira na frente da cidade, as árvores morrendo por falta de cuidados e os canteiros centrais das ruas cheios de entulhos, retrata de forma inequívoca o tipo de caráter que tem a população de Itaituba e como a administração municipal não agiu quando deveria ter agido, inclusive no cumprimento da sua obrigação. Agora, a essa altura do governo, falta-lhe autoridade para usar o código de postura do município para punir quem descumpre a lei, e dessa forma a cidade caminha para mais um aniversário de sua fundação, carregando a sina de cidade onde direitos e deveres não são respeitados, o que é lastimável, pois por tudo que já ofereceu aos seus habitantes, Itaituba, merece ser mais bem cuidada.

Weliton Lima, jornalista, comentário do telejornal Focalizando, veiculado nesta quinta-feira, 29/10/15