terça-feira, outubro 20, 2015

Caminhada da Agricultura Familiar debate potencialidades e entraves da produção no centro-oeste do Pará

Caminhada vai passar por Itaituba
Conhecer experiências, dialogar e identificar potencialidades e entraves para o desenvolvimento da agriculta familiar do estado é o objetivo da Caminhada da Agricultura Familiar no Centro-Oeste do Pará, promovida pela Confederação dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) em parceria com instituições de pesquisa, extensão e assistência técnica rural. Durante duas semanas, o grupo – composto por lideranças rurais da Fetagri/PA, sindicatos, além de pesquisadores e técnicos da Embrapa e Emater - vai percorrer 10 municípios paraenses para debater temas ligados à agricultura familiar e dialogar com gestores, movimentos sociais, ONGs e organizações de trabalhadores rurais.

Na manhã da segunda-feira (19) o grupo visitou o Campo Experimental do Núcleo de Apoio à Pesquisa e Transferência de Tecnologia (Napt) da Embrapa Amazônia Oriental na Transamazônica, localizado no município de Altamira. O pesquisador Pedro Celestino contou um pouco da história do local, que iniciou suas atividades junto à abertura da rodovia Transamazônica e o processo de colonização da região, no início dos anos 1970. Os visitantes conheceram também tecnologias de pastejo rotacionado e agricultura sem queima, além das avaliações de cultivares de tomateiro que estão sendo testadas para a região.

Os participantes da caminhada conheceram também a cultivar de bananeira BRS Pacoua, que deve ser lançada pela Embrapa no próximo ano. Ela apresenta boa produtividade e convive bem com as principais doenças que atacam a planta. “A banana é uma cultura que pode ser bem aproveitada nessa região, pois serve de sombreamento para o cacau”, afirmou o diretor da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Pará (Fetagri/PA), João de Jesus.

Roteiro - A Caminhada da Agricultura Familiar foi antecedida por uma oficina de concertação, realizada em Belém, nos dias 13 e 14 deste mês. A primeira parada do grupo foi em Marabá, onde houve um seminário para debater assistência técnica e extensão rural nos dias 15 e 16. Em seguida, houve passagens pelos municípios de Pacajá, Anapu e Altamira, onde o grupo visitou experiências de cooperativas de agricultores, escolas rurais organizadas pelos movimentos sociais e pequenos produtores.

Nesta terça-feira (20), os participantes da caminhada encontram-se em Medicilândia, onde promovem um seminário sobre organização, produção e agroindustrialização na agricultura familiar. O foco das discussões é o cacau, produto muito cultivado na região. 

A Caminhada da Agricultura Familiar no Centro-Oeste do Pará é uma iniciativa da Contag e Fetagri/PA com o apoio de diversos parceiros. O chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Amazônia Oriental, Silvio Brienza, avalia que o roteiro de visitas tem mostrado que os agricultores familiares possuem muita vontade e capacidade, mas carecem de um melhor entendimento das oportunidades de negócios. “São pontos em que a Embrapa e parceiros podem ajudar, como o aproveitamento de coprodutos e o planejamento dos empreendimentos”, afirma. 

O roteiro da caminhada se encerra no próximo dia 27 em Santarém. Até lá, a programação inclui passagens pelos municípios de Uruará, Rurópolis e Itaituba.