sábado, setembro 05, 2015

Parentinho estreou na banda do Centro Educacional Polegar no desfile deste Dia da Raça


Hoje aconteceu o desfile do Dia da Raça, na avenida Getúlio Vargas.

Acompanhamos de perto (eu e Marilene), o desfile do Centro Educacional Polegar, onde estuda o Parentinho, que fez sua estreia na banda da escola.

Embora o calor estivesse muito forte, pelo menos não houve um atraso muito grande para o início do desfile, como ocorreu em 2013, o que motivou muitas reclamações.

Tenho lá minhas restrições ao patriotismo sazonal, pois entendo que o sentimento de amor à pátria deveria seguir outros caminhos, como a execução semanal do Hino Nacional Brasileiro, diante do hasteamento do Pavilhão Nacional, como fazem algumas escolas. Mas, isso não deveria se dar de forma isolada, mas, de um modo geral.

Nós, pais, também não devemos fugir às nossas responsabilidades, ensinando diariamente aos nossos filhos, que patriotismo é não praticar a corrupção, nem ser tolerante com ela; que patriotismo é não usar o jeitinho brasileiro para passar a perna nos outros; que patriotismo é algo bem diferente de xingar os corruptos e, na primeira esquina tentar corromper o guarda de trânsito porque sua carteira ou o documento do carro está vencido, e assim por diante.

Quando eu tinha 16 anos, fui estudar no Seminário São Pio X, em Santarém, onde apenas a professora Angélica, de Língua Portuguesa, não era norte-americana. 

Pois foi com eles, os padres estudunidenses que eu e provavelmente a maioria dos meus colegas da época aprendemos as noções de respeito aos símbolos da nossa pátria. Toda segunda-feira éramos reunidos na frente do Seminário, onde era hasteado o Pavilhão Nacional e cantávamos o Hino Nacional Brasileiro. Depois que saí de lá, voltei a conviver com o patriotismo sazonal, mesmo no tempo da ditadura.


Mas, voltando ao desfile deste Dia da Raça, as lentes do blog registraram a passagem da Centro Educacional Polegar pela avenida.