terça-feira, setembro 08, 2015

Bloqueio da BR 163 continua

Foto: Arlyson Souza ( extraída do blog do Mauro Torres)
No distrito de Campo Verde, na manhã de hoje, o comércio amanheceu e continua fechado. Poucas carretas passaram para descarregar grãos, somente aquelas que estavam após o local de fechamento da BR 163, a dois km do distrito.
Foram queimados pneus velhos e colocadas toras de madeira na obstrução da rodovia.
De acordo com o depoimento de um morador para o repórter Mauro Torres, veiculado no telejornal Focalizando (TV Tapajoara), o povo não aguentam mais a poeira e tanto descaso.
O prazo dado para as autoridades do governo, principalmente o federal, chegar e negociar é de dez dias prazo.
Os manifestantes pedem para o DNIT, atenção nas reinvindicações concernentes à estrada, incluindo o asfaltamento da frente do distrito, construção de pontos de concreto nos quilômetros 17 e 25, sentido Miritituba e a solução para o encruado problema do desvio próximo a Miritituba, onde já aconteceram diversos acidentes com veículos de todos os portes, alguns com vítimas fatais.  
As lideranças do momento reclamam, também, da falta de compromosso dos governos do estado e do município, que deveriam arregaçar as mangas e pressionar o governo federal para que essas demandas sejam atendidas.
Até o final da manhã de hoje passava de 12 km o comprimento da fila de carretas vindas de Mato Grosso carregadas de grãos.
Um dos entrevistados por Mauro Torres disse, que até agora a pavimentação da BR 163 foi tem sido boa para o pessoal do agronegócio, pois nada tem feito com contrapartida, como foi prometido.No distrito de Campo Verde, na manhã de hoje, o comércio amanheceu e continua fechado. Poucas carretas passaram para descarregar grãos, somente aquelas que estavam após o local de fechamento da BR 163, a dois km do distrito.
Foram queimados pneus velhos e colocadas toras de madeira na obstrução da rodovia.
De acordo com o depoimento de um morador para o repórter Mauro Torres, veiculado no telejornal Focalizando (TV Tapajoara), o povo não aguentam mais a poeira e tanto descaso.
O prazo dado para as autoridades do governo, principalmente o federal, chegar e negociar é de dez dias prazo.
Os manifestantes pedem para o DNIT, atenção nas reivindicações concernentes à estrada, incluindo o asfaltamento da frente do distrito, construção de pontos de concreto nos quilômetros 17 e 25, sentido Miritituba e a solução para o encruado problema do desvio próximo a Miritituba, onde já aconteceram diversos acidentes com veículos de todos os portes, alguns com vítimas fatais.  
As lideranças do momento reclamam, também, da falta de compromisso dos governos do estado e do município, que deveriam arregaçar as mangas e pressionar o governo federal para que essas demandas sejam atendidas.
Até o final da manhã de hoje passava de 12 km o comprimento da fila de carretas vindas de Mato Grosso carregadas de grãos.

Um dos entrevistados por Mauro Torres disse, que até agora a pavimentação da BR 163 foi tem sido boa para o pessoal do agronegócio, pois nada tem feito com contrapartida, como foi prometido.