quinta-feira, agosto 20, 2015

Esquema de venda de habilitação é desarticulado

Esquema de venda de habilitação é desarticulado (Foto: Reprodução)
Um esquema de comercialização ilegal de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) foi desarticulado no sudeste paraense, nesta quinta-feira (20), após uma operação denominada “Galesia”, realizada pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPPA).
A ação foi realizada pelo promotor de Justiça Harrison da Cunha Bezerra, com atuação no Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do MPPA, conjuntamente aos promotores Ítalo Costa Dias e Ramon Furtado Santos, em parceria com a Polícia Civil.
“Essa intrincada organização criminosa atuava não somente no estado do Pará, mas possui tentáculos em outras unidades da federação. Esse esquema criminoso coloca em risco a sociedade com a emissão de CNH sem nenhum critério. E nisso o Ministério Público tem que estar atento para zelar pela segurança da população”, disse o promotor Harrison Bezerra.
O promotor de Justiça de Xinguara, Ramon Furtado explica que essa é somente uma primeira fase e terão outras ainda. “Foram efetuadas nove prisões até o momento. É resultado de um trabalho de vários meses de investigação e o Ministério Público do Estado do Pará participou das investigações desde o início”.
A operação que tem caráter nacional cumpre no sul do Pará 26 mandado de prisão temporária, expedida pela Justiça contra diretores, servidores e proprietários de auto escolas. As buscas continuam nas casas de servidores, diretores do Detran, dos Ciretrans e em auto escolas.
Até a tarde desta quinta-feira (20) foram efetivados nove mandados de prisão temporária. Encontram-se foragidos dois diretores do Detran, sendo que 1 ainda estava no exercício do cargo e outro já exonerado. Na casa de um servidor em Redenção foram apreendidos R$180 mil reais em espécie.
A investigação confirma que o esquema criminoso montado banalizava a expedição de CNH. Qualquer pessoa comprava o documento, tanto que foram expedidas carteiras para pessoas com deficiência visual e analfabetas.
Os alvos das buscas e prisões foram concentrados nos pólos dos municípios de Redenção e Conceição do Araguaia, no sudeste paraense, com desmembramento nas cidades de Santana do Araguaia, Xinguara, Tucumã, Ourilândia do Norte, São Felix do Xingu e Paragominas.
(DOL com informações do MPPA)