quarta-feira, agosto 19, 2015

Deputados visitaram a obra do Hospital Regional e alguns questionaram o atraso

A visita às obras do Hospital Regional do Tapajós foi item do roteiro da comitiva da Assembleia Legislativa do Estado. Os deputados fizeram questão de verificar o cronograma de execução d maior projeto do governo do Estado na região. Mas houve algumas contestações e questionamentos, em manifestações que não estavam previstas pela comitiva. Com 28 mil metros quadrados de área construída, o hospital obedece ao padrão de outros que já estão em atividade, como o Regional do Baixo Amazonas. Mas aqui em Itaituba, o engenheiro explicou que a obra passou por algumas adequações para contornar problemas de logística e de terreno.

Com orçamento de mais de R$ 120 milhões, as obras do Hospital Regional do Tapajós já tiveram aditivo de mais de R$ 3 milhões. “Essa é uma questão. Outra é em relação ao tempo estabelecido para a execução da obra, 540 dias. Já se passaram mais de 700 dias e somente 30% do projeto foi executado”. A observação foi feita pelo deputado

Chicão, do PMDB de Ananindeua, que já foi secretário de Obras do Estado. Chicão destaca que só o fato de já ter havido um aditivo com tão pouco da obra concluído, já é motivo para questionamento.

Já o deputado Hilton Aguiar, que tem feito frequentes visitas às obras do hospital, defende o governo e enfatiza a importância da obra para Itaituba, quebrando uma antiga dependência de outras cidades, como Santarém.

O deputado Eraldo Pimenta, também do PMDB, não questiona a importância da obra, mas reforça o que foi levantado por Chicão. Segundo ele, esse tipo de projeto precisa ter acompanhamento periódico pelo Legislativo estadual e pela própria população, para garantir a sua execução e evitar um eventual uso indevido de recursos públicos.

Fonte: blog do Mauro Torres
-----------------------
Meu comentário: Só mesmo no Brasil, e especialmente no Pará é que pode ocorrer um absurdo como esse: uma obra que só tem 30% e concluída, mas, teve um aditivo de R$ 3 milhões.

O legal mesmo foi a desculpa apresentada pelo engenheiro que foi entrevistado no telejornal Focalizando. Desculpa esfarrapada, sem pé, nem cabeça.

Como disse o engenheiro Nilson Guerra para o vereador Manoel Diniz, quando os dois conversaram sobre a finalização da obra, pode multiplicar, pelo menos, por dois esse tempo. É mais uma lambança do Jatene e de sua turma.

Jota Parente