domingo, julho 26, 2015

Portos graneleiros: boa parte dos benefícios ficá em Novo Progresso

Porto da Bunge, em Miritituba
Foto: JParente
Aguardados como algo que resultaria em grande progresso para o município de Itaituba, situados no distrito de Miritituba, os portos de transbordo de grãos estão longe de atender às expectativas inicialmente projetadas.

Por conta da especulação que houve antes da implantação, Miritituba sofreu um inchaço considerável de sua população, sem que isso fosse acompanhado de qualquer tipo de planejamento, como é comum acontecer no Brasil. No Norte do país isso é muito pior. O poder público não participa do processo como deve, e o resultado costuma ser sempre o mesmo.

Não houve a criação das centenas e centenas de empregos que foi apregoada pelos defensores incondicionais de tais obras, segundo os quais, Miritituba seria transformado em um lugar muito diferente e muito melhor, e que até a sede do município seria contemplada com os benefícios trazidos por esses vultosos investimentos.

À direita, o local onde está quase pronto o Auto Posto Leal LOGS.
Foto Google Earth, tirada quando a obra ainda era apena um projeto

Crescer, Miritituba cresceu, em população, em prostituição infanto-juvenil, em violência e em problemas no trânsito, porque a circulação diária de muitas dezenas, às vezes, algumas centenas de carretas (no auge da safra) tornou muito mais complicada a vida no distrito que se localiza na frente da cidade de Itaituba.